TPM, sua linda.

Essa TPM ta de matar. Matar os outros, no caso, porque né.

Eu ando numa onda de mal humor, fúria, ódio, mágoa, gritos e palavrões.

Ando sem paciência para todos os tipos de pessoas. As que se fazem de coitada, as burras, as mimadas, e as chatas mesmo. Por dentro eu quero mandar todo mundo pra puta que pariu, por fora eu faço cara de sono. Até porque é melhor falar que to com sono do que “EU TO DE SACO CHEIO DE TI VAI PRO INFERNO” :)

E assim, eu acho que essas pessoas tem um radar. Elas percebem que eu não to no clima da amizade e FORÇAM a barra. Ai, muita água com açúcar pra mim!

Além dessa fúria toda, eu ando desmotivada. Acordo, penso no que vai ser meu dia e imediatamente quero voltar pra cama. Quando vai chegando a hora de ir pra faculdade já começo a murchar e só consigo pensar nas aulas chatas que eu vou ter. Penso em tudo que eu ainda tenho que estudar pro vestibular e quase choro. Penso nos exercícios físicos que eu deveria estar fazendo e só penso em comer! SOCORRO.

E eu sei que tudo isso é culpa da TPM e daqui uns dias tudo vai voltar ao normal e eu vou começar a enxergar as pequenas alegrias do meu dia de novo.

Até o mês que vem, claro.

Pergunta pra ele.

Peguei na biblioteca da faculdade o livro A Cabana.

Já leram?

Sempre quis ler, mas não sabia do que se tratava. Peguei mesmo assim e fui pra casa. Fiquei surpresa por saber que o livro é um tanto religioso e que traz uma questão ótima que me fez pensar muito.

Ainda não terminei de ler, mas não paro de pensar a respeito. Basicamente o personagem principal do livro tem um encontro com Deus.

Cara, já pensou nisso?

Eu não sou religiosa, acredito em algo superior que está por aí nos cuidando que por convenção chamo de Deus sem muita certeza, sabe assim? Queria ser mais esclarecida quanto a isso, mas ainda não sou… tudo a seu tempo, né?

Só que esse livro me fez  ficar horas pensando. Se eu tivesse a oportunidade de me encontrar com Deus… o que eu faria? O que eu falaria primeiro? Como eu chamaria ele?

Primeiro eu sei que morreria de medo, já que tenho medo do desconhecido, imagina um desconhecido tão importante!? Ficaria tensa e nervosa, gaguejaria, e por fim jogaria um monte de perguntas que estão na minha cabeça ainda sem respostas.

Pra começar, o que ele tava pensando quando criou tudo? Levando em conta que foi ele que criou tudo.

O que vai ser do mundo daqui pra frente? E 2012, vai rolar mesmo? A humanidade ainda tem conserto?

E a minha vida, to indo bem até agora? Vou morrer logo? [e nessa última eu ia insistir pra ele me responder] E assim vai.

Tenho pensado em mil perguntas que poderia fazer pra ele e fico um pouco frustrada, porque não tenho a resposta de nenhuma e imaginar o que ele poderia me responder me da uma agonia tremenda.

E vocês? O que perguntariam pra Deus? O que falariam com ele?

Me contem, quero pensar mais sobre.

E né, fica aí a reflexão.

Um tanto de livro.

Eu estou lendo 4 livros ao mesmo tempo. Recorde.

Leio dois por obrigação, um por diversão e um porque é emprestado e eu preciso devolver. Mas gente, não to sabendo lidar!

Na hora de dormir, que é a hora que eu acho mais gostosinha pra ler eu fico um tempão pensando: “Ta, qual vai ser hoje?” E aí eu pego um e no meio da leitura me da uma agonia e aí eu olho para os outros que estão “de lado” e aí já quero pegar outro pra ler. Socorro.

Pra mim não funciona pegar um monte de livros pra ler ao mesmo tempo. Não flui e eu acabo não terminando nenhum.

Pensei numa solução: Vou pegar o resumo de um dos obrigatórios e vou deixar um pouco de lado o livro que estou lendo por diversão. Aí termino o que é mais obrigatório e o emprestado que eu tenho que devolver..

Problem solved! Ufa.

 

Eis os livros que estou lendo: Memórias Póstumas de Brás Cubas – Machado de Assis [resumo, oi], Crônica de uma morte anunciada – Gabriel García Márquez [obrigatório pra faculdade e bem bom por sinal], Terra de sombras – Alyson Noël [o emprestado que eu to enrolando pra ler porque é chatinho], A música que mudou a minha vida – Robin Benway [o por diversão que é um amor! E eu vou deixar de lado um pouquinho. :(]