Save me, Barry!

É sempre uma grande agonia quando o namorado vai viajar. Ok, essa é só a segunda vez que acontece, mas mesmo assim.

Ele foi trabalhar em Chapecó [alguém que mora lá e possa servir de detetive? Gratifica-se], vai filmar o show do AMADO BATISTA e vai voltar feliz [$.$] e lindo [<3] pra mim na terça.

Até terça eu já morri, murchei e virei pó de saudade.

Dramática, eu? Capaz.

Por mim eu viveria GRUDADA nele. Menos nos momentos de privacidade, claro.

Que dependência, né? NEM TO.

Prefiro ser esse tipo de namorada do que ser dessas que nem sabe onde o homi tá.

Enfiiim, só pra desabafar mesmo.

E o título foi super aleatório, mas eu sei que a Tary vai saber do que se trata. :)

 

Nostalgia, essa sacana.

Aí tu tá lá fazendo qualquer coisa na internet e se depara com uma foto e BAM, tudo muda na tua cabeça. Tu começa a lembrar de coisas do passado, das pessoas que passaram pela tua vida, do jeito que tu te sentia, de como tu era… Aí entra no clima da nostalgia, bota uma música meio calma ou triste, chora um pouco, quem sabe, vê algumas outras fotos e assim vai madrugada a dentro.

Isso aí acontece comigo quase sempre. Nessas horas eu costumo imaginar que tudo era tão lindo e bom, mas eu sei que não era. Em algum momento da madrugada vai me dar um clic, eu vou começar a lembrar de coisas nem tão legais, das pessoas chatas que já passaram pela minha vida, vou lembrar que o jeito que eu me sentia não era nem um pouco bom e que eu nem gostava tanto de como eu era.

E aí eu respiro fundo, enxugo lágrimas, boto uma música mais alegre e dou graças pela minha vida de agora.

Meu presente é muito mais lindo que o meu passado. Eu sou mais legal, me curto mais agora, as pessoas que ficaram são pra sempre, e as coisas que estão acontecendo são demais!

E isso que realmente vale a pena. O agora. :)