Coisas humanamente impossíveis.

Hoje eu tive o desprazer de andar de trem as 7:30 da manhã.

Pra começar isso nem é horário que se apresente. Ter que acordar essa hora [uma hora mais cedo, aliás] já é algo humanamente impossível de se fazer ok?

Mas tá, tudo é relevado quando se acorda com uma boa companhia.

Eis que eu pego o trem as 7:30. Hora em que TODAS AS PESSOAS EXISTENTES resolvem entrar naquele troço.

E só entrar.

Sair? Não.

Quando chego na minha casa e já me encontro segura em minha cama [sim, porque eu cheguei em casa e voltei a dormir], começo a pensar nas coisas que são HUMANAMENTE IMPOSSÍVEIS.

Além do trem cheio, tem também os ônibus. Que eu, na minha mais pura inocência, pensava que era pior que o trem… Mas não. Tudo bem que eu não vi pessoas obesas, cheias de sacolas, e fedendo no trem, como eu sempre vejo em ônibus. Mas no trem, a maioria das pessoas não tem noção de espaço, são folgadas e INSISTEM em conversar com a pessoa que está esmagada ao seu lado. Desnecessário.

Continuando.

Andar de guarda-chuva. Pra mim, pelo menos é humanamente impossível. Se eu estiver no centro da cidade, com muitas pessoas indo e vindo, pior. Se tiver vento junto com a chuva, catástrofe.

Dar uma corridinha. Primeiro que eu não entendo o porque as pessoas ADORAM dar uma corridinha. Porra, caminhem.

Pra que correr? Não é necessário. Eu não vejo sentido, e pra mim é mais uma coisa humanamente impossível.

Ter que estudar, estando com um sono horrível. Não preciso nem explicar o quão óbvio isso é, né?

Como sempre quando quis pensar em mais coisas, acabei dormindo.

Repararam como eu fiquei um tanto traumatizada com esse maldito trem né?

Advertisements